top of page
17.png

Frete internacional: passo a passo para escolher o mais adequado

Você já conferiu aqui sobre as vantagens do transporte marítimo e aéreo

Agora, vamos mostrar quais são os tipos de frete internacional, além disso, como planejar e escolher o mais adequado! Entender sobre este assunto é fundamental, pois influencia a forma de cobrança e determina as responsabilidades pela entrega de mercadorias.

Se você faz parte das empresas que nos últimos anos ampliou os seus negócios para outros países, continue a leitura que vamos explicar as diferentes categorias de fretes internacionais.

Atuar no mercado externo, desde importação e exportação até a produção de produtos e serviços em outros países, faz parte da internacionalização. Isso quer dizer que existem categorias distintas de frete, que impactam diretamente os custos das transportadoras.

O que é necessário para fazer uma cotação de frete internacional?

O frete internacional nada mais é que o valor pago pelo uso ou pela locação de embarcação ou qualquer outro meio de transporte (rodoviário, marítimo, ferroviário ou aéreo) pertencente a outro.

Mas, como é o pagamento do frete internacional?

O pagamento pode ocorrer de duas formas:

  1. Freight Prepaid

  2. Freight Collect

Freight Prepaid: conhecido também como frete pré-pago. Significa que será pago imediatamente após o embarque, para retirada do B/L (embarque marítimo). Pode ser pago no local ou país de embarque (o que é feito normalmente) e também no exterior. Vale ressaltar que o frete pré-pago e os Incoterms são coisas distintas.

Freight collect: nesta condição, o pagamento do frete poderá ocorrer em local diverso daquele de embarque ou destino. Ou seja, pode ser pago em qualquer lugar do mundo, sendo que o armador será então avisado pelo seu agente sobre o recebimento, de modo a proceder a liberação da mercadoria.

Não há obrigatoriedade da menção, no Conhecimento de Embarque, do valor do frete a ser pago. Ele poderá ser substituído pela cláusula Freight as Per Agreement (frete conforme acordo).

É obrigatório mencionar o local de pagamento do frete, porém, o valor pode ser substituído pela cláusula Freight as Per Agreement (frete conforme acordo).

Confira a seguir, dois exemplos de tabelas:

Bom, agora que você já entendeu como funcionam os pagamentos, continue a leitura para saber como você deve escolher e planejar o frete internacional mais adequado para a sua empresa!

Algumas informações precisam ser coletadas, como:

  1. Cidade e País de origem/ destino;

  2. Prazo de entrega;

  3. Modal a ser utilizado (aéreo, marítimo, rodoviário);

  4. Tipo de mercadoria (peso, volume, natureza, cubagem);

  5. Custo do serviço;

  6. Valor da mercadoria;

  7. Disponibilidade para envio.

Quais são as responsabilidades e obrigações de quem compra e de quem vende?

Definir responsabilidades do importador e exportador é uma questão muito importante no transporte internacional de carga. Para isso, foi criado o Incoterms, que são normas que regulamentam e definem os direitos e obrigações, com o intuito de melhorar a comunicação entre os países e evitar conflitos nos negócios do exterior.

De acordo com a nova versão dos Termos Internacionais de Comércio, as normas podem ser usadas também em compra e venda de mercado interno e não têm qualquer impacto sobre contratos de seguro, relações bancárias e despachantes aduaneiros. Ou seja, regulam apenas a relação do exportador e importador.

Conheça os 11 Incoterms utilizados no comércio internacional:

​​Reconhecidos em todo mundo, os Incoterms são representados por meio de siglas compostas por 3 letras e são divididos em quatro categorias pelos grupos de letras C, D, E e F. Conheça quais são:

Grupo C – Transporte Principal Pago

CFR – Cost and Freight (Custo e Frete)

O responsável pelo desembaraço da mercadoria na alfândega é o exportador. Ao passar o costado do navio, passa a ser de responsabilidade do importador, que pode ou não optar pelo seguro da carga. Utilizado em casos de transporte aquaviário.

CIF – Cost Insurance and Freight (Custo, Seguro e Frete)

O exportador é o responsável por todos os custos do transporte da mercadoria, incluindo o seguro, sendo responsável pela mesma até que ela percorra todo destino. Somente em transporte aquaviário.

CPT – Carriage Paid To (Transporte pago até certo destino)

Responsável pela contratação do transporte (da origem até um local predefinido no país de destino), pelo desembaraço alfandegário no país de origem, o exportador entrega a mercadoria a um responsável indicado no país de origem. Vale ressaltar que o seguro fica por conta do importador. Utilizado nas modalidades terrestre, marítima e aérea.

Grupo D – Chegada

DAT – Delivered at Terminal (Entregue no Terminal)

Aplicado a qualquer modalidade de transporte internacional. A responsabilidade pelo desembaraço em seu país e pelo transporte até o momento em que a carga é entregue no terminal de carga citado no contrato. A partir desse ponto, é o importador que passa a ser responsável pela mesma.

DAP – Delivered at Place (Entregue no local)

O exportador é responsável pelo desembaraço de exportação e o transporte até o local combinado no país de destino. A partir desse ponto, o desembaraço de importação e a descarga da mercadoria passam a ser responsabilidade do importador. Utilizado em qualquer modalidade de transporte.

DDP – Delivered Duty Paid (Entregue com direitos pagos)

Aqui fica a cargo do exportador o desembaraço, taxas e o transporte desde a origem até o destino apontado pelo importador. Aplicado a qualquer modalidade de transporte.

Grupo E – Partida

EXW – Ex Works (Na fábrica)

Nesta modalidade, o vendedor somente tem que disponibilizar a mercadoria no local e data marcada. A partir daí, o comprador deve providenciar o transporte da mercadoria e arcar com todos os riscos, custos e desembaraço de exportação na origem. Pode ser utilizado em qualquer modalidade de transporte internacional.

Grupo F – Transporte Principal Não Pago

FCA – Free Carrier (Franco Transportador)

Pode ser utilizado tanto na modalidade de transporte terrestre, quanto aéreo ou marítimo. O vendedor disponibiliza a mercadoria em um local previamente acordado ainda no país de origem, onde a transportadora do comprador recepciona a mercadoria e passa a se responsabilizar por ela.

FAS – Free Alongside Ship (Livre no Costado do Navio)

O transporte principal só pode ser aquaviário, ou seja, marítimo, fluvial ou lacustre. A responsabilidade do exportador se encerra no momento em que ele deposita a mercadoria, ao lado do navio que fará o transporte principal, no cais ou em embarcação auxiliar.

FOB – Free on Board (Livre a Bordo do Navio)

Somente na modalidade aquaviária. O vendedor se compromete a entregar a mercadoria já desembaraçada dentro do navio.

Para escolher o melhor Incoterm para a sua operação, é importante saber o quanto o fornecedor estará disponível para a negociação. Além disso, fique atento a todos os custos que envolvem o transporte e, se preferir, seja assessorado por um profissional especializado no assunto.

Um novo modo de cotar fretes internacionais

Se você já faz parte da internacionalização das empresas brasileiras ou está começando a entrar no mercado externo, pode entrar em contato diretamente com nossos agentes para cotar frete internacional.

A PortCo é especializada em transporte internacional, atendendo às modalidades marítimas, aéreas e rodoviárias. Com agentes de cargas que conectam a sua empresa ao mundo inteiro.

Veja como é simples, ágil e seguro.

Gostou do artigo? Agora, já imaginou conhecer toda a travessia da sua carga? Clique aqui e embarque em nosso itinerário de cargas!

bottom of page